Compartilhe e Siga-nos!

sexta-feira, 6 de julho de 2012

CARO CORAÇÃO


Caro Coração,

sei o quanto é importante em minha vida. Pois sem você, eu literalmente não vivo. Todas as minhas necessidades básicas passam por você. Sei que é responsável pelo meu sangue correr em todo o meu corpo. Sei que faz com que informações sejam distribuídas por todo o meu corpo e que ainda serve para ajudar o pulmão, carregar curas entre tantas outras coisas durante o dia a dia. Pois bem, sei que faz todas estas coisas, mas desde quando o senhor ficou responsável por escolher a pessoa que eu vá amar? Quem lhe colocou com a responsabilidade de me fazer amar, apaixonar-se, me entregar por alguém? O senhor só tem músculos, e dentro sangue! O que lhe faz pensar que entende de algo sobre o amor? O Cérebro, muito pelo contrário, guarda todas as decepções que você nos colocou! Porque não pergunta primeiramente para ele, antes de querer bater mais forte por alguém? Por que não consulta o estômago, que ficou sem ver alimentos por uma pessoa? Os olhos que não fecharam noites, ou que ficaram vazando por horas?
Sinceramente senhor Coração, sei que é importante nas suas funções, mas por favor, somente nas suas funções você vale alguma coisa. É por isso que venho humildemente pedir para que não se meta no meu amor, e para quem eu queira entrega-lo, pois por sua causa, já fiz muitos remendos e ainda estou me curando!
Para terminar, deixo apenas mais uma vez o meu pedido. Senhor Coração, não se meta no amor.

Atenciosamente,

Alma.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

EM SALA DE AULA

Para fazer duas turmas minhas (601 e 602) da Escola Estadual Gilberto Freire aprenderem algumas coisas do Egito Antigo, fiz uma pequena modificação da letra que todos estão rindo com a versão pouco comum de Nos Galhos Secos...

Ficou assim:

NAS MARGENS SECAS DE UM RIO QUALQUER
ONDE NINGUÉM JAMAIS PUDESSE IMAGINAR
O CAMPONÊS FEZ, SUA LAVOURA A BROTAR

PLANTAI, PLANTAI, PLANTAI
OS FRUTOS CRESCERAM, MAIS QUE NOS CAMPOS
E O FARAÓ MANDOU FAZER MAIS PIRÂMIDES DE TANTA ALEGRIA

PARA NOSSA AGONIA!

video
Esta foi a 602! Eles curtiram! Vamos ver as notas!

domingo, 1 de julho de 2012

EU QUERIA

Eu queria ser importante.
Melhor, queria me sentir importante.
Melhor ainda, queria que alguém me fizesse importante.

Eu queria amar alguem.
Melhor, queria encontrar alguém.
Melhor ainda, queria que alguém me encontrasse e me amasse.

CERTA VEZ JOGANDO FUTEBOL


Agora, quase todo domingo eu vou jogar bola na Vila Militar no Caju. Sei, é estranho dizer e fazer isso já que tive vários problemas de saúde, mas acreditem, eu jogo. Ou tento.

Nunca fui bom em jogar bola, mas confesso que sempre gostei, pois é legal correr, gritar e fazer gol, quando dar. A minha experiência de bola até o presente, era uma que me fez afastar das partidas desde o ensino médio. Foi um trauma! E foi na frente de quase toda escola!

Para início de conversa, eu sou muito ruim! Some isso a mais um pouco e multiplique! Este sou eu jogando bola! Pois bem...

Nossa turma foi jogar numa quadra frente a escola, um torneio, e eu fui para jogar. Desengonçado como sempre, só sabia correr e chutar! E achava que isso bastava! Mas não foi o suficiente! Por eu errar muitos passos, chutes e não conseguir fazer dribles sem que eu caísse, me puseram no gol como goleiro. Estava eu, tentanto agarrar, quando fiz uma defesa meio tonta, mas segurei a bola! Ual!!!!!!!! Me senti o máximo com as meninas gritando, meu time apoiando! Aí, para ficar melhor, eu peguei a bola, segurei com as duas mãos, preparei para chutar pra frente!



Eu deixei minha perna ir bem atrás, para ter mais força, mas ai foi quando o meu pé direito agarrou na rede, e como era uma trave motanda, quando o meu pé voltou, a trave caiu por sobre mim, e eu fui fisgado como um peixe!!!! Não conseguia sair do chão com o peso da trave e a rede não deixando me me movimentar! Todos gritara de risos!!!!!! Foi uma gargalhada só!!!!!

Eu fiquei uns minutos, pois eles não sabia se me ajudavam ou se riam um pouco mais de mim! Foi uma vergonha, daí em diante desisti de jogar em grupos conhecidos! Agora, de uns dois meses pra cá voltei com uns colegas que não viram isso e estou me saindo não tão mal! Saio mancando, mas faço gols!

domingo, 24 de junho de 2012

A QUEIXA DE UM VAMPIRO

Oi,

me chamo Baltazar. Nasci no séc. XII, um período difícil para se manter vivo até os quarenta anos, mas depois de me tornar um vampiro, ficou digamos, mais fácil.
Quando estava para completar 30 anos de idade, fui pego súbitamente por um grupo desolador de vampiros, e quase todos da minha vila serviram de alimento, e um bocado sobreviveu à transformação. Pois bem, não estou aqui para falar da minha vida. O problema é que três séculos depois, fui campturado e preso. E agora, no séc. XXI, fui solto. E quando voltei a ver as pessoas, o mundo, a natureza. Sinceramente, tenho muito a me queixar!


1° Sou um vampiro! Tenho de viver sugando o sangue das pessoas. Mas as pessoas neste séc. não tem boa saúde! Passei mal durante dias com um sangue estragado que provei!

2º Quero esclarecer que não tenho medo de crucifixos, alho, quem tem medo de alho? Água benta não me faz mal! Entre outras coisas que inventaram na minha ausencia!

3º Nós, vampiros, não somos emos! Não gostamos de preto! Você gosta do sol? Usa amarelo então? Acredito que não! Então, por favor! Parem de achar que vampiros usam maquiagens, rímel, baton preto, e roupas pretas!!! Cada tem um estilo!

4º Sou uma criatura morta, sangue frio, uma alma amaldiçoada que anda pela terra! Logo, eu não me apaixono por ninguem! Mas quantos livros, filmes fazem de nós emotivos!?? Carambolas! Eu vejo outro ser humano como comida! Você se apaixona pelo seu cachorro? Transa com ele? Comigo é uma coisa parecida!

5º Por fim, gostaria de ressaltar que estou cansado disso. Cansado de ver versões gays de nós nos filmes, livros, e contos amorozos sobre nós! Se o meu sangue é frio, ce acha que transaria como? Pense no óbvio!!!!! Sou um caçador, matador, amaldiçoado e não um vampiro assexuado como mostram os filmes.


Pronto, falei!

Um Grito

O problema das pessoas é não saber quando algo é um grito de socorro.
Eu grito sem usar o som, e muitas vezes me basta usar o teclado do computador.
Mas infelizmente meu grito não é compreendido. Deve ser a forma como aprendi de me referir na terceira, quarta, quinta pessoa.

Um grito sempre será um grito, não importa como ele ecoe, ele sempre terá uma proposta. E na maioria das vezes é um chamado. Eu chamei.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

A QUEIXA DO CUPIDO

 

¬ Olá. Eu sou o cupido. Sim, tenho cabelos encaracolados sim, mas isso não é um padrão. Nós cupidos somos diferentes uns dos outros. Eu tenho cabelos encaracolados, mas um outro cupido pode ser negro, ou branco, ou asiático ou sei lá o que.
¬ Bom, ha muito tempo que gostaria de deixar bem claro as minhas queixas para os humanos principalmente no mês dos namorados. Então lá vai:

1º Não me exponha como um beber de fraldas com asinhas nas costas que para ficar andando com um arco e flecha tenho de ter no mínimo dezoito anos. Criança com uma arma desta não rola! Fora que se eu tenho o poder de fazer alguem se apaixonar, porque não saberia usar a privada?

2º Não são todos os cupidos que são louros! Eu tenho cabelos castanhos! Meu colega também nesta profissão é negro. E por ai vai! Não sei quem inventou este padrão!

3º Não tenho asinhas nas costas! Minhas asas são grandes, afinal de contas, sou um adulto numa profissão árdua há séculos. E ingrata também.

4º Parem de dizer que só lanço a flecha em uma pessoa! Sempre me insultão no dia dos namorados! Me dizem que joguei na pessoa errada ou que lancei apenas em uma! Saca só, se vc ta afim da pessoa, eu lanço e pronto! É assim! Nada de duas flechas! Isso gasta e o sindicato não orienta assim.

5º  E por ultimo, por hora! Eu não me chamo cupido! Isso é uma função! Um emprego! Meu nome é Romildo! Você gostaria de ser chamado de Pedreiro sempre? Recepcionista? Professor! Eu tenho nome! Então, quando forem escolher alguém para amar, se certifique-se de que você não mudará de idéia, pois eu não faço devoluções!!!!!

Obrigado,

Assinado,

Romildo, o cupido.



ILUSÃO DE CADA DIA

Eu voltei novamente.

Sei que a tarefa de se manter um blog em atividade é árdua, mas com um pouquinho de força e tempo, a gente consegue.

O que me fez desaparecer foram os problemas, a vida em si na sua mais bela complexidade que pode apresentar. Na verdade, a vida é simples. Nós quem somos complexos e a culpamos.

As coisas mais simples da vida são as mais importantes, isso é fato.
Já se imaginou vivendo hoje sem água potável acessível? Já se imaginou viver no mundo de hoje sem criar suas ilusões? É meus caros, somos profissionais em criar nossas ilusões, pois como diz alguns filmes, você não suportaria a verdade. Como um exemplo, experimente viver um ano sem energia elétrica. Sim, pois com ela criamos um mundo ilusório das luzes, das máquinas, da internet, entre outras coisas, e nos guardamos. A cada geração ficamos cada vez mais inseridos nas nossas ilusões de mundo.

Senhores, vivemos cada um a sua matrix. Mas nesta, somos os mocinhos e os vilões. O que nos diferenciam apenas são a forma de se encarar isso. De ver o fato e não pirar ou ignorar. Por isso, eu digo novamente. Eu voltei.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

ESCOLAS DO RIO - ARMADAS

É recente, mas esta semana já pude ver policiais dentro de uma escola estadual aqui no Rio. Já li e ouvi que muitos são contra, pois escola é lugar de aprender e não para uma violência visual. Pois bem, que a escola é lugar de aprender e coisa e tal, eu sei. Quem não sabe são os alunos bandidos e vândalos que vão também para ela. Eu não sou a favor totalmente desta postura, mas que esta postura ao meu ver é o exemplo de que o Estado está perdendo suas forças para a violência, isso é claro.
Por mim, o policial pode está e pode revistar o aluno sim, pois já que não existe bandido, não uma imagem definida, ele pode ser um aluno. E muitas vezes são se utilizando de sua “invulnerabilidade” graças a sua idade. Quantos já não puderam ver um grupo de jovens dentro de um ônibus falando e fazendo barbaridades com a roupa de escola? Um grupo voltando pela rua e quebrando, xingando e destruindo patrimônio público? Agora eles não podem ser revistados? Acorda Brasil. O problema não é o policial dentro da escola. O problema é ter de colocar ele lá porque a educação não entrar para as famílias. Escola não é salvadora. Gilberto Freire não vivia no hoje. Esqueça-o! Engula seus discursos utópicos pedagogos sem noções! A realidade é outra e devemos sim, nos modificar para passar por ela.
A escola não pode ser vista como vulnerável. Pois eu, como professor, dou aula em colégio que é invadido nos fins de semana para serem motéis, zona, e ainda tomarem banho na caixa de água e fazerem churrasco. Tudo isso é feito pela pobre comunidade que a cerca. A escola tem que deixar de ser vista como inofensiva, mas como algo a temer. Não o medo da repressão, mas o medo de que se a pessoa a destrói, será destruído o futuro de seus filhos e ainda será punida pela lei. Infelizmente, o povo só temo aquilo que pesa no bolso. Então vamos falar esta língua.  

sábado, 21 de abril de 2012

A MALDADE FOI DE QUEM?

Não resisti, mas quando vi esta cena na banca, tirei uma foto com o celular de um amigo e ele postou no face!

sexta-feira, 13 de abril de 2012

DIA DO BEIJO



Dia do beijo.
Dia de duas pessoas.
Sim, beijo precisa sumariamente de duas pessoas, assim aprendi.
Mas durante minha infância, nem sempre o beijo precisou de duas pessoas.
Mandei beijo. Lancei beijo. Escrevi beijo. Desenhei beijo.

Dia do beijo.
Dia não necessariamente de duas pessoas.
Não, beijo sumariamente não precisa de duas pessoas, assim eu vivi.
Mas durante minha adolescencia, o beijo sempre precisou de duas pessoas.
Não me mandavam beijo. Não me lançavam beijo. Não escreviam beijo. Nem desenhavam.

Dia do beijo.
Dia necessariamente de duas pessoas.
Sim, beijo sumariamente precisa de duas pessoas, assim eu percebi.
Mas durante minha vida atual, o beijo sempre precisou de duas pessoas.

Não me beijam mais. Não me lançam mais o beijo. Não escrevem o beijo. Nem beijam.


terça-feira, 10 de abril de 2012

EDUCAÇÃO DA BOA

As aulas voltaram e as provas do primeiro bimestre também. O que é engraçado de se ver são as respostas das provas. Como professor, bom, confesso que as vezes fico rindo. Exemplo: O que é Evolucionismo? R: Charles Chaplin (até entendo a confusão)
Qual a diferença de nômades esedentários? R: Um é nômade e o outro é sedentário. (Malicioso este, não?)

Fora as respostas ridículas que certamente estão de sacanagem com a cara do professor: Cite as quatro etapas da evolução humana. R: Homo-burro, Homo-sábio, Homo-sexual e Homo-sapo.
Na boa, esta pessoa merece o que? Ele não foi apenas ignorante na resposta, ele quiz zoar com a cara do professor. Mas, infelizmente, o governo me obrigada a passar o cara. Nem chamar os pais dele eu tenho direito. Enviei uma lista de nomes dos quais quero conversar com os pais, e a resposta foi que nenhuma deles virão. Isso não é abandono? Isso não seria caso de polícia? O governo ainda dar dinheiro para estes pais, ignorantes e burros para eles fazerem o que é uma obrigação garantida.

Na boa, o grande mal dos alunos começam em casa, pois não podemos, como professores, dar uma dura nos pais. E o governo com esta droga de IDEB, está arruinando a educação como nunca! Aguardem, pois daqui ha alguns anos, serão estes os médicos ou os bandidos que nós iremos encontrar. Já que tudo é facilitado.
Desculpe a ausência, mas devido a uma série de mudanças na minha vida, eu precisei me ausentar! Estou de volta. Não que tenha feito falta, mas eu preciso disso aqui. Preciso me expor ao ridículo com meus pensamentos. Preciso me revoltar com as coisas da vida. Preciso comentar o que me afeta e aos outros. Bom, preciso de todos que lêem, criticam, comentam e que participam.

Vamos que vamos mês de abril...

domingo, 26 de fevereiro de 2012

VIDA DE OVO

Viver... eis a questão. Já se perguntaram onde estaria se não tomassem estas escolhas? Onde estariam se tivesse mudado, encontrado alguém, trocado de emprego, mudasse de atitude ou de pensamento? Estes dias venho me perguntado, mas claro, é só mais uma pergunta para o livro de infindáveis perguntas que nunca serão respondidas. Nunca mesmo.
Mas como eu gostaria de saber. De ver... sentir.
Infelizmente gostaria de falar sobre isso, mas para alguns, serei apenas depressivo, nostálgico ou meio velho. Então, me aprisiono em mim mesmo. Minha vida de ovo. Onde coabitam comigo tudo o que sinto. E assim, espero poder sair...

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

VOCÊ NÃO LEMBROU DO MEU ANIVERSÁRIO

MENINA – Você não lembrou do meu aniversário!
MENINO – Lembrei sim, mas não pude falar com você.
MENINA – Mentira, pensei que você fosse diferente, mas não se importa!
MENINO – Eu me importo sim! Só não consegui falar com você. Você não me responde mais.
MENINA – Você nunca será diferente. Gostaria, mas não será!

MENINO – Porque você acha que esqueci seu aniversário? Você se lembra da primeira vez que nos olhamos? Você lembra da minha mão gelada e escondida quando fui falar com você? Se lembra de quando deitou sua cabeça no peito na volta pra casa na frente do meu amigo? Você se lembra de quantas vezes lhe olhei até sumir da minha vista depois de cada despedida? Lembra que fazia de tudo para ficar perto de você mesmo quando me impedia? Lembra de quando lhe perguntei se fugiria comigo? Estava falando sério. Você lembra das coisas que me agradava ouvir você dizer pra mim? Você lembra das vezes que ficava louco quando se atrasava, achando que algo ruim poderia ter lhe acontecido? Você lembra que meu chão sumia toda vez que me dizia “Eu te amo”?

MENINA – Não lembrava... desculpe?
MENINO – Não, vamos fazer você se lembrar de tudo isso.

CARNAVAL - RELIGIÃO? - PARTE 2


E ainda falando no carnaval, pois é uma data bem especial para “nós”, brasileiros entremos então no quesito religião.
O carnaval é a festa da carne. Sim, muitos sabem, e não estamos falando de uma liquidação do açougueiro, e sim, de se entregar aos prazeres do corpo. O que isso implica no significado prático? Você, folião de carteirinha, vai beber, beijar, transar, bagunçar como nenhum ser humano normal faria. A chave da cidade é entregue para o Momo (carne) e você vai se entregar aos desejos mais íntimos.
Eu, por ser homem, claro, sempre adorei a idéia. Nossa, transar com todas, ficar doidão e zoar pacas! Isso deve ser muito legal. Não é. Você fica propício a doenças sexualmente transmissíveis. Você enche a cara e pega um carro e causa acidentes. Quantos são as vítimas de acidentes? Quantos vão para os UPA’s ou hospitais para se desintoxicar depois de ficarem horas bebendo? Isso é bom? Não é. Mas o povo gosta. E como disse Hobbes um dia; a natureza do homem é má, por isso deve haver leis para se manter a ordem.
Alguém lembra de alguma vez nos desfiles das escolas de samba do Rio não terem algum assunto, tema, ala sobre religião? Praticamente impossível, já que as religiões africanas e as criadas aqui no Brasil, como a “Quimbanda”, são religiões ao contrário da cristã, que todos estão acostumados, não tem um bem e o mal definidos.
Vamos começar com o início. Na África, há centenas de anos, os povos eram e sempre foram guerreiros, pois somente assim conseguiriam sobreviver. Eles lutavam uns contra os outros assim como sua necessidade. Escravizavam, matavam, destruíam a sua maneira. Então, quando havia uma guerra entre dois povos, estes buscavam ajuda espiritual, das entidades. Se o povo “A” pedia para a entidade “A”, logo o povo “B”, pedia para uma outra, que não fosse a “A” também. Pois não era lógico para eles, nem pra mim, dois lados terem o mesmo “deus”. Os países ou reinos cristãos são assim, pedem ajuda e matam pelo mesmo deus! Trágico.
Pois bem, nesta parte acho mais lógico para as religiões africanas.
Quando chegaram no Brasil, e vendo que os cristãos morriam de medo de suas crenças e métodos, eles absorveram a visão do mal mesmo para si, para usar o medo a seu favor. Tanto que, quem é praticante, acha graça de quem não é e acredita no que se ler e ouve das religiões contrárias. São religiões riquíssimas, no teor histórico, mas que infelizmente não tem seus dogmas escritos. Foi passado oralmente, o que marginaliza ainda mais. E é por esta razão que os carnavalescos, praticantes de tais, colocam tanto estes temas nas escolas. Pode parecer blasfêmia para os cristãos verem um cristo de cueca num desfile, mas para Oxossi, Ogum, e até Olorum, isso é apenas brincadeira e uma forma de manifestação.
Pronto. Colocar suas crenças em suas práticas tudo bem. Mas o que anda rolando e que particularmente não gosto, é querer colocar coisas cristãs em seus desfiles. Como o Cristo censurado do falecido Joãozinho Trinta. E outros que já o fizeram. Religião é algo muito perigoso, e como muitos já sabem, eu não gosto. Por causa de religião já fizeram guerras e mataram milhares. E a coisa mais chata da religião é que cada uma acha que é a certa e as outras são erradas. Por isso, acho tosco os temas com religiões que não seja aberta a isso. Quer falar, fale da sua, não a dos outros. Sabe que sempre a igreja interfere, porque tentar mudar isso?  

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

O BANCO DE TRÁS

                     O rapaz entrou no ônibus. Pagou ao trocador o valor correta da passagem e passou pela roleta quase frente a porta. Antes de sentar-se em um dos vários lugares vazios que se apresentava para ele, passou um olhar pesquisador nos bancos de trás. Ele nunca havia gostado de sentar-se no banco de trás, mas por um motivo especial ele gostaria naquela hora.
Sentou-se no segundo banco que viu. Olhou para a janela e por um instante, a visão do banco de trás voltou a sua cabeça. Como ele gostaria de sentar ali atrás. Era quase uma obsessão se não houvesse um motivo. Um motivo de cabelos encaracolados... lisos... louros... escuros para se lembrar. O rapaz, mesmo com seus olhos voltados para frente, a cada curva feita pelo motorista, sua mente ainda estava no banco de trás, mas não no de agora. Ele podia se ver no banco. Sentia felicidade... medo... tristeza... raiva... amor.
O tempo passava e logo teria de esquecer o banco de trás, pois desceria. Então, quando próximo de seu destino, levantou. Passou uma olhada descarada e sem rodeios no banco de trás que não estava ocupado e pode perceber a lembrança... alegria... dor... solidão.
                             Logo saiu do ônibus. Deu uma ultima olhada para ele, e seguiu seu caminho.  

CARNAVAL - FESTA POPULAR? - 1º PARTE


                     O Carnaval está rolando! A festa popular que mais agrada foliões, ambulantes e catadores de latinhas no Brasil já está no seu fim em algumas partes do país. Para quem gosta é uma oportunidade de sair com vários parceiros, viajar para lugares calmos, ficar horas na praia ou apenas ficar em casa vendo a banda passar. Óbvio que as emissoras, a internet e todos os meios de comunicação irão dizer: “viva a festa popular”. Mas peraí! Que festa popular é esta?

                   Aqui no Rio, e falo somente por este lugar, a grande festa rola na Sapucaí, e é caro pacas! Há os camarotes que você, simples mortal jamais entrará sem conhecer alguém ou ter ganho uma bolada ou se não for jovem e com um corpo de matar um. Então, onde rola o popular nesta história?
As fantasias são caras, e o carinha paga para desfilar numa escola que se ganhar, leva o dinheiro os donos, empresários e quem vende os materiais para a grande festa. Os lucros mesmo são para as empresas de bebidas, o comércio de mulheres (prostitutas de luxo) e os bixeiros. É um sacrilégio a mídia dizer que é uma festa popular. Hoje, não é mais! O que vejo são verbas que depois de março, somem para escolas, obras públicas e desabrigados. Eu nunca vi uma campanha pedindo ajuda para se montar uma escola para a avenida, mas quando há desabamento e pessoas sem lugar para ficarem, o governo pede ajuda, doação. Onde está a mesma urgência e velocidade que se há para organizar uma festa pagã? Não tenho nada contra uma religião específica, pois sou contra qualquer tipo de religião, para um país que se diz cristão, entregar as chaves da cidade para o Momo é muita contradição!
                               O fato é que para estas festas, obras são concluídas em pouco tempo, policiamento fica massivo, ambulâncias que não acabam mais para socorrer pessoas que bebem demais! E quando se necessita de um idoso buscar hospital não há uma ambulância para levá-lo. Mas como todos sabem, este é o país do carnaval, do samba, que insistimos em dizer que é nosso, e nem isso é verdade.
Só para deixar claro, não sou contra as manifestações culturais, apenas acentuo as desigualdades destes acontecimentos. Quem dera fosse eu um folião que bebesse muito para se preocupar com estas coisas. Mas não sou. E como a repórter Rachel Sherazade disse, num vídeo que rola na net, esta festa é bem mais excludente que popular!


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

LINDEMBERG FOI CONDENADO

“Justiça foi feita.”
O assassino de Eloá, Lindemberg pegou 98 anos de prisão. Bom, certamente cairá com bom comportamento, a condicional virá com 1/6 de pena cumpridos e sem levar em consideração que no Brasil, não se permite ficar preso por mais de 30 anos. Mas a “justiça foi feita.”
O que fiquei pensando desde o início dos acontecimentos foi: Como uma menina se envolve com um cara destes? Ele não se mostrava violento, mas segundo os amigos, sabiam que ele se envolvia em roubos e com pessoas armadas. Provavelmente a jovem Eloá sabia disso, já que este fato se torna um chamariz. Mas e os pais? Qual seria o papel da família neste momento? Será que não teria como aconselhar, impedir (já que se trata de uma menor) ou procurar saber melhor o círculo de amizades dos filhos? Eu sei que são coisas que muitos de nós, com filhos, não se preocupa muito. Claro que há o conselho “se tiver usando droga eu te mato” ou “se aparecer aqui com filho vai pra rua”. Mas e o papel da família nestes casos? Por favor, não estou culpando os pais da vítima, de forma alguma e nem estou retirando o fato dele ser culpado, estou somente levanto esta questão, porque as coisas estão acontecendo, a gente procura os culpados, mas nunca olhamos pra nós mesmos como possíveis responsáveis, mesmo que indiretamente.

É triste o fato? Sim. Ele vai apodrecer na cadeia? Não, provavelmente perderá parte de sua vida social. Mas um dia, como uma amiga citou em seu facebook, não se espante de daqui a pouco cruzar com este cara no metrô.”

domingo, 5 de fevereiro de 2012

BRINCADEIRA DE GATOS

O gato antes branco, mas agora coberto de sujeira espessa vinda dos carros, estava olhando para o outro lado da rua. Uma porta fechada de aparência antiga estava a sua frente. Entre o gato e a porta, uma rua bem movimentada. Pessoas nas calçadas e carros ferozes no asfalto. O outrora gato branco, estava sentado, observando atentamente para a porta. Parecia algumas vezes procurar brechas entre os espaços dos carros, mas não tinha êxito.
No céu, um sol que cegava as vistas e o chão começava a refletir o calor. O gato colocava uma pata dianteira mais a frente, parecendo ser o momento de atravessar, mas o som dos veículos o desencorajava.
O semáforo estava longe, e mesmo que o gato antes branco o tivesse perto, talvez não saberia usá-lo a seu favor. Era contar com a sorte mesmo. Contar que ninguém que estivesse passando por ali o ajudaria atravessar. Então, com seus olhos cintilantes e verdes concentrado na porta antiga, ele se atirou para ela.
Os carros não diminuíram a velocidade pelo gato antes branco. Na verdade, muitos nem o viram. Ele correu. Saltou. Sua calda tocou em uma roda, sua cabeça no para-choque de outro carro. Pequenas pedras voavam do asfalto para suas vistas. Ele fechava os olhos, parecia recuar, mas avançava ainda mais. Ele estava chegando na calçada quando um veículo robusto de frente rebaixada veio de encontro a ele. O gato antes branco, não teria chance se continuasse na mesma velocidade. Foi quando ele arcou suas pernas traseiras e com grande impulso conseguiu saltar e cair na calçada, frente a porta antiga. Sua cabeça bateu no degrau abaixo da porta quando chegou um outro gato, mais acinzentado.
— Quantas vidas gastou desta vez? — Perguntou o gato acinzentado.
— Nenhuma. Continuo com sete vidas! — respondeu o gato antes branco.
— Ou nove.
 

CEREAL KILLER - COMA ANTES DE MORRER

Não resisti. E com uma montagem tosca, fiz isso com o Dexter Morgan. O psicopata mais amado nos EUA.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

COMO UMA BEXIGA

Hoje me bateu aquele vazio. Sabe quando a gente está normal, fazendo nada demais, mas que do nada vem aquele sentimento ruim? Foi assim ás 7 horas da manhã desta quinta-feira. Estava eu resolvendo algumas coisas pelo centro quando me veio este sentimento. É ruim, muito ruim, pois ele as vezes vem com nome e endereço. Não me é estranho senti-lo, pois as vezes sou acometido por ele no decorrer dos anos, mas hoje veio muito forte.
Eu tenho a sensação de que sou como uma bexiga de ar de festas. Posso ser grande, pequeno, mas no fundo, vazio. E foi assim que me senti hoje pela manhã. Uma tristeza daquelas que a gente ver em filmes, quando por exemplo: um Dementador se aproxima de nós. Ou quando o mocinho percebe que perdeu a garota dos seus sonhos. Muito estranho.
Caminhei, pensei, senti falta e continuei caminhando. Nada fazia passar. Cheguei a pegar o ônibus para ir a Duque de Caxias, (uma viagem) e durante toda ela, o vazio me arrebatou. Me deu vontade de não existir, de me esquecer. E foi assim pelo dia... como está sendo. É impressionante como estas coisas nos levam de nós mesmos. Nos tira do chão. Mesmo sendo sentimentos abstratos. Hoje eu fui acometido por ele. Não vejo a hora de dormir. E por fim, me preencher novamente.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

CENTRO DO RIO / PRÉDIOS AO CHÃO

video

DESABAMANETO NO CENTRO DO RIO


Na noite de quarta feira, dia 25, foi ao chão dois prédios e umc ortiço no Centro do Rio.
Hoje, sexta-feira, ainda há procura de desaparecidos. Um fato triste, mas pré anunciado, pois o Centro do Rio de janeiro, é um dos lugares onde mais tem tragédias anunciadas. Prédio sem reparos e abandonados.

Alguns já tem os culpados, outros querem saber como. Mas o importante é que seja feito coisas para este e para futuras tragédias. Já que sendo um país onde vai sediar a Copa e Olimpiadas, deveria ter uma nova direção.

Não sei se é do prefeito Eduardo Paes ou do governador Sergio Cabral ou dos responsáveis pela obra que ocorria no local, a grande culpa. O importante agora é assegurar as famílias. Até porque, logo é carnaval e tudo volta festa. Menos para os parentes das vítimas.

Estive no local nesta sexta-feira, fotografei e entrevistei algumas pessoas, e o sentimento ainda é de perplexidade. Muitos queriam entender como e ainda temerosos ficavam falando que passaram no local minutos antes.E havia os curiosos, que vão olhar somente.

Semana triste. Desejo força para os parentes. E que se faça algo! Pois só para citar alguns lugares aqui, a Central, na parte dos fundos, é uma droga de lugar. Sujo, cheio de prostitutas e drogas. Mas eles só vão olhar para lá quando aquili cair também.

Estes eram os prédios.


Sexta-feira. 27.01.12 pela manhã.

Muita fumaça.

Lembra alguma coisa?

Operários retirando os escombros.

Reporter da Record aguardando novidades. No fundo, a fumaça continua a subir.

Caminho livre para os caminhões com escombros.

O Céu estava nublado, mas isso tudo é fumaça mesmo.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

MASSACRE EM PINHEIRINHOS

MASSACRE EM PINHEIRINHOS
           Assim estão dando nome ao confronto já aguardado entre policiais e moradores de um loteamento com ordem da justiça de desapropriamento. Pinheirinhos é uma comunidade em São José dos Campos, São Paulo. A terra invadida pertence a um grande empresário, que mesmo depois que fora manifestado interesse por parte do governo em transformar a comunidade em bairro, entrou na justiça pedindo a terra de volta.

              Há a informação de que são 2000 famílias que ocupam o lugar há oito anos. Sua maioria mulheres e crianças, como sempre. Pois bem, como aqui, é um lugar que considero livre para questões como estas, venho colocar minha opinião.
            

             O Brasil tem um problema de reforma agrária há muito tempo. Desde o período colonial, há muitas terra que não são utilizadas e com isso, poucos as têm. Isto é fato, e ficamos conhecendo esta história ainda mais com a criação do MST (Movimento dos Sem Terra) criado em 1984.
Eu, simplificando as coisas, acredito que um erro não justifica o outro. Estão entrando com força no local? Semanas atrás eu vi uma matéria que os moradores estavam se armando para a chegada da polícia, então não seria sem aviso. O local não sendo seu, mesmo que não seja utilizado, não lhe dar o direito de usar porque está sendo abandonado. Não é seu! Um mínimo de bom senso, diria isso! 
              

            Sei que na grande parte são pessoas que necessitam de moradia mesmo. Mas deve-se fazer de outra forma. Não é fácil! É difícil mesmo, mas não são como as manifestações da Síria, Iran, e outros países que se integram como nação que vão resolver nossas questões. O MST já mudou muito, e há muito já se instaurou os interesses dos corruptos nele! Assim como em qualquer lugar, sempre há duas versões!
Agora, você atacar policiais (que não usam identificação nos uniformes) cumprindo a lei que lhes foi dado, não vai adiantar nada. Nem levar crianças para frente do confronto para mostrar a mídia, como já vi pessoas em outros casos solicitando isso. Não são todos inocentes. Há toda uma trama política, interesseiros e uma falta de bom senso geral. E a má educação das pessoas em saber como buscar seus direitos e deveres do Estado, as deixam cegas para seus deveres também.

                

                Finalizando, eu não acho que seja um massacre. Não como define o dicionário a palavra. Já está chamando até onde os ex-moradores estão como campo de concentração, uma alusão a Auschwitz. Isso é graças a uma mídia tosca, exploratória, e a pessoas que sabem como fazer chamar a atenção. Senhores, alguma coisa deve ser feito, mas não somente em Pinheirinhos, mas em todos os lugares onde estão famílias que invadem fábricas abandonadas, campos abertos, beiras de estradas. E não é agradando um lado, é se fazendo justiça. Que se organizem, mas não tentem fazer uma guerra e nem se espelhem em bagagem histórica dos outros. Pois a única guerra que fizemos foi a do Paraguai onde matamos quase todos os homens com muito orgulho!



           

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

A BRANCA DO BBB

Claro, não quero enfatizar ainda mais o ridículo, mas esta combinação de imagens me chamou a atenção. Não é devido so suposto estupro ocorrido numa emissora durante um programa saindo completamente da linha que se deve manter um canal televisivo. Mas sim pela abordagem.
Sempre ouvimos e vimos pelos contos adaptados principalmente pela Disney este tipo de amor. Uma moça, bela e virgem! (tem que ser, para ficar legal) aí, vem o príncipe e a beija e a liberta coisa e tal.

Lembrando que neste caso específico, a Branca de Neve, está totalmente drogada! Sem consciencia do que ocorre ao redor. Diferentemente do casal acima. Já que foi ingerido bebida alcoólica! E os anões não tinham isso.  

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

ESTRANHO, DE CARRO!

ESTRANHO E LUIZA

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

BBB 12 E O ESTUPRO

BBB fazendo sua fama. Desde de que houve uma festa organizada pelo programa onde os participantes Daniel e Monique beberam demais e foram dormir juntos, que a palavra da moda agora é “ESTUPRO”.
Eu nunca havia escutado e lido tanto esta palavra. São conversas de padarias, bares, no facebook, Orkut, e-mails e até correntes para que o programa saia do ar.



Uma coisa que me chamou a atenção é que a palavra “ESTUPRO”. Pela primeira vez está sendo pronunciada da forma correta. Os fãs de BBB, bom, como disse a emissora, são populares, e populares hoje em dia, significa pessoas sem instrução. Os mesmos, aprenderam a falar a palavra “ESTUPRO”, sem aquela famosa pronuncia, “ESTRUPO”. E por este lado, fico muito grato pelo BBB.
 Não estou nem aí se o casalzinho bebeu demais, fizeram filhos, ela quis ou não. Pois o que se pode esperar de uma casa fechada onde injetam álcool, e as bebidas alcoólicas, são as únicas coisas que não se compram com as estalecas, é de graça mesmo?
A única coisa que me deixa fascinado é a capacidade que a TV tem de influenciar e impor certas coisas. Agora, nem tão cedo ouviremos “ESTRUPO”, pois o popular aprendeu. Sabendo disso, porque raios as emissoras insistem em ensinar coisas ridículas para os seus telespectadores? Já imaginou se nas grandes emissoras tivessem um programa de direitos civis e social? Como seria os ônibus? Sem som alto, a educação renasceria. Mas não, vamos ensinar que todos são lindos, ahhh todos não, sempre terá uma Janete má educada e engraçada, uma gordinha, mas esta, sai logo logo da sua frente com a votação de populares. Pois o povo, não gosta de semelhantes, e sim o lindo, fabuloso, luxo como disse Joãozinho trinta.  

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

SOLDADOS DANÇANDO AI SE EU TE PEGO

Antes, exportávamos Pau-Brasil. Depois, mulheres e agora, idiotices!
O mundo está doente... E a sexta maior economia do planeta está entrando na linha!
Viva ao salário mínimo de R$ 625.00 e o aumento da passagem de ônibus no RJ para R$ 2.75

Bons tempos era quando aumentava dez, cinco centavos!

Mas vamos ver a nossa nova exportação:
Soldados israelenses dançando o grande sucesso do Brasil, Ai Se Eu Te Pego. Ao menos não foi funk. O gorverno mandou tretirar tal vídeo, mas o mundo virtual tem sempre uma cópia, e caiu na net, caiu para todos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compartilhe nas Redes Sociais